Ministério da Economia anuncia novas medidas de combate ao coronavírus

  • Brasil
  • 17/03/2020
  • Jota

O Ministério da Economia anunciou novas medidas nesta segunda-feira (16/03) na tentativa de combater os efeitos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. De acordo com o ministro Paulo Guedes, serão aplicados R$ 147 bilhões na economia brasileira na intenção de proteger idosos, vulneráveis e manutenção de empregos.

De acordo com as medidas anunciadas nesta segunda, dos R$ 147 bilhões, serão R$ 83 bilhões para a população mais vulnerável e R$ 59 milhões para a geração de empregos.

Em relação aos vulneráveis, o governo anunciou:

- Antecipação da segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para maio (R$ 23 bilhões); – Valores não sacados do PIS/Pasep serão transferidos para o FGTS para permitir novos saques (até R$ 21,5 bilhões); – Antecipação do Abono Salarial para junho (R$ 12,8 bilhões) – Reforço ao programa Bolsa Família: destinação de recursos para possibilitar a ampliação do número de beneficiários – inclusão de mais de 1 milhão de pessoas (até R$ 3,1 bilhões).
Já em relação à manutenção dos empregos, foram listados:

- Adiamento do prazo de pagamento do FGTS por três meses (R$30 bilhões) – Adiamento da parte da União no Simples Nacional também por três meses (R$ 22,2 bilhões), mais R$ 5 bilhões de crédito do PROGER / FAT para Micro e Pequenas empresas; – Redução de 50% nas contribuições do Sistema S por três meses (R$2,2 bilhões); simplificação das exigências para contratação de crédito e dispensa de documentação (CND) para renegociação de crédito e; – Facilitação do desembaraço de insumos e matérias primas industriais importadas antes do desembarque.
“Não temos espaço fiscal, estamos tendo que buscar recursos dentro dos limites que temos”, destacou o ministro Paulo Guedes em entrevista coletiva nesta segunda.